A importância do alongamento: conheça todos os benefícios!

| |

Exercitar-se é uma das melhores formas de garantir o bem-estar e estar disposta, mas há certas tensões, não só do exercício, mas do dia a dia de todas nós, que podem limitar a mobilidade muscular em diversas atividades.

A importância do alongamento deve ser sempre lembrada e enfatizada na vida de todos nós, amantes de esportes e atividades físicas em geral. Por isso hoje viemos te falar mais sobre alongar-se e como fazê-lo da melhor forma!

Por que se alongar? Descubra!

A analogia dos músculos e revestimentos dos órgãos como “tecidos” não é em vão. Suas estrutura muscular é um conjunto de fibras entrepostas que se flexionam o tempo todo. Em cada gesto, por menor que seja, você trabalha vários conjuntos deles.

Colocar uma tensão muito grande ou muito longa sobre seus músculos causa um efeito de “esgarçamento” dessas fibras, mas diferente de trocar de camiseta, você não simplesmente se desfaz do seu tecido muscular, e cada vez que você o tensiona demais, ele precisa de tempo para se regenerar, recuperar sua elasticidade, e tensões prolongadas podem criar um efeito cumulativo, que os inflama e causa dor.

Apesar de, inevitavelmente, você aplicar essa tensão no dia a dia. Assim como um tecido de qualidade, uma musculatura sadia possui mais flexibilidade, mais capacidade de retornar ao seu estado de repouso sem grandes danos ou dores.

Todo exercício físico é uma espécie de repetição coordenada de pequenas tensões para flexionar e aumentar aos poucos a capacidade muscular.

Então podemos pensar o alongamento como um exercício também. Um exercício mais gentil e preparatório para o corpo, que busca preparar para os impactos e diminuir seus efeitos na musculatura, evitando aquela sensação de dor, travamento.

Mais do que a musculatura, sua estrutura óssea também é muito sensível às tensões do dia a dia, e quando algo afeta nossa coluna, por exemplo, sempre lembramos dele, o tão falado e muitas vezes ignorado alongamento.

Seus benefícios

  • Causa relaxamento muscular, e o relaxamento, por sua vez, ajuda a liberar uma série de hormônios que informam para o cérebro o momento de descansar, ativando receptores ligados ao bem-estar;
  • A ativação desses receptores é poderosa no combate natural a problemas tão comuns da vida, como a ansiedade, insônia, depressão;
  • Ao deixar seus músculos e juntas mais flexíveis, a sua performance no treino fica muito maior, você conseguir ir um pouco mais além na intensidade sem sofrer aquelas lesões chatas de curto prazo que acabam atrapalhando o treino do dia seguinte;
  • Quando você estica e relaxa de forma gentil seus membros, as articulações e também seu sistema circulatório agradecem, pois isso estimula sua fluidez;
  • Aumenta sua noção de corporeidade, e isso tem efeitos tanto psicológicos quanto físicos; ele expande sua consciência física e espacial, o que também causa bem-estar.

Quando me alongar

A importância de se alongar é constante e podemos dizer que: desde que se proceda de maneira correta. As contraindicações são pouquíssimas e envolvem o que dissemos antes: se alongar de forma correta.

Então qual seria a maneira correta de se alongar? Bem, você precisa respeitar muito seus limites físicos. Enquanto no treino sentir o músculo “pegando” é um sinal muito procurado para indicar eficiência, no alongamento não.

Ao invés disso, é importante que você busque sentir a musculatura relaxando, se aliviando da tensão a qual estava submetida.

Você não precisa nem deve ir além de sua flexibilidade média. Acredite, os efeitos regeneradores ligados à importância do alongamento também são progressivos, a flexibilidade se ganha aos poucos. Uma maneira muito interessante e dinâmica de exercícios que alongam e flexibilizam o corpo com propriedade a prática de Pilates.

Alongue-se antes e depois de se submeter à grandes tensões musculares, seja parada ou se movimentando. Isto é, antes de sentar-se para trabalhar, alongue-se, e após meia a uma hora, alongue-se novamente. Antes dos exercícios você pode se prolongar mais no alongamento, e depois do treino também, até sentir que conseguiu dar um uma boa aliviada nas tensões do exercício. Se preferir, você pode focar o alongamento nos conjuntos que vai exercitar naquele momento, fazendo um alongamento um pouco mais curto e localizado antes de cada set de séries.

Como se alongar? Veja nossas dicas!

Para se alongar de forma adequada, tendo em mente o respeito aos limites físicos de flexibilidade e com uma intensidade leve mas dinâmica, o mais importante é que você fique estável em sua base, sem dar pulinhos ou fazer muita força para não perder o equilíbrio.

Mantenha cada posição flexionada na medida em que aguentar sem sentir tensão grande. Entre 15 e 30 segundos. Dê sempre preferência a roupas flexíveis.

Deitada:

  • Cruze uma perna sobre a outra, com a barriga para cima, flexionando gentilmente com a mão puxando a coxa até próximo do peito (alongamento dos glúteos)
  • Descruzando as pernas, faça o mesmo movimento com cada uma flexionando (para a coluna)

Em pé:

  • Começando pela cabeça, gire-a gentilmente por sobre o pescoço.
  • Com o pescoço mais relaxado, puxe-o gentilmente para o lado com a mão do lado oposto para relaxar o trapézio. Repita com o lado seguinte.
  • Com os dedos entrelaçados atrás da nuca, faça uma pequena pressão para abaixar a cabeça, tente encostar o queixo no peito, exercitando a cervical.
  • Estique o braço para cima e desça, sem dobrá-lo e bem devagar, até que a mão encontre de novo a linha do quadril. Repita com ambos, simultaneamente ou não, por uma média de 30 segundos.
  • Agora estique um dos braços para a frente e com o outro, puxe-o contra o peito, segurando-o como se fizesse uma chave na altura do cotovelo, depois solte gentilmente e retorne o braço de forma lenta, sentindo o ombro relaxar.
  • Estique a mão para a frente com a palma aberta, com a outra mão, puxe as pontas dos dedos para trás, a intenção aqui não é fazer pressão nos dedos, mas sim flexibilizar o bíceps e o antebraço para que eles se adequem à tensão.
  • Leve o pé até encostá-lo no bumbum, segurando pelo dorso do pé para alongar a parte anterior da coxa. Tente manter por média de 30 segundos. Se perder o equilíbrio, não se preocupe, diminua o tempo ou volte à posição original, respire fundo, se concentre e recomece.
  • Para alongar a parte posterior da coxa e a coluna, mantenha as pernas retas e, com as pontas dos dedos esticadas, sem dobrar a coluna, tente encostá-los nas pontas dos pés. Não se preocupe necessariamente em encostá-los, mas sim no movimento em si.
  • Encontre um apoio para esticar a perna. Mantenha-a reta sobre este apoio e cruze a perna livre enquanto posiciona a mão no bico do pé. Se não ficar confortável para pôr ambas as mãos, não se preocupe, use apenas e use a segunda para se estabilizar.

Sempre que voltar da posição do alongamento, o faça de forma calma, suave e lenta, sentindo o músculo que foi alongado.

Viu como é fácil e gostoso se alongar? Na medida em que cria o hábito, você vai conseguir ir mais além, manter as posturas por mais tempo e ter mais flexibilidade.

Para receber mais dicas de treino, fitness wear e bem-viver, assine a newsletter do blog da New Fit e aproveite para conhecer nossa loja com seções completas de artigos fit!

Anterior

Dicas de looks com calça cirrê: crie sem medo!

Roupas para pedalar: o que usar no seu pedal?

Próximo

Deixe um comentário